24.9.07

falar "500 anos atrás" me parece tão atual!

O que acontecia no Brasil há séculos é mais atual do que imaginamos. Em um dos países que mais se desenvolvem no mundo, tribos indígenas inteiras ainda são massacradas sem que nada seja feito. Tão absurdo quanto o genocídio de pessoas inocentes movido por motivos torpes como grana e poder, é saber que no Brasil, país do biocombustível, do samba e do futebol, ainda existe escravidão, apesar da abolição da escravatura assinada pela princesa Isabel em 1888.
E mais de um século depois, entre 2003 e 2006, a Amazônia registra 85% do trabalho escravo existente no país, sem contar os casos que nem foram catalogados. E escravidão não significa apenas a não-liberdade, mas a morte gradual, aos poucos, torturante, humilhante. Patrões impiedosos e com ganância até o talo iludem pessoas de diversas regiões do país com a promessa de trabalho e boa remuneração na Amazônia. Providenciam a chegada até suas fazendas e a verdade aparece.
Alojados em barracos de lonas, os trabalhadores não contam com infra-estrutura para higiene pessoal, nem com alimentação adequada e água potável, mas podem dispor à vontade de boas ameaças físicas e psicológicas. E endividamento, porque se precisarem de medicamentos ou se quiserem comer um pãozinho com feijão e farofa vão ter que comprá-los a preços de união européia na vendinha do patrão.
Falando nisso, o Ministério do Trabalho e Emprego informou, na sexta-feira, que as operações de fiscalização de denúncia de trabalho escravo foram interrompidas por tempo indeterminado. Clicando aqui, você lê a matéria completa. Que palhaçada é essa?
Deveríamos rever nossos conceitos sobre a palavra DESENVOLVIMENTO.

**

Já que falamos em indígenas, uma última novidade: semana passada, Avelino Nunes Macedo, um índio de 25 anos da aldeia Xacriabá, de Miravânia (MG), foi espancado até a morte por três moleques embriagados de classe média, dois deles menores de idade, apenas porque esbarrou em um deles dentro de uma festa.

A justiça promete apurar os fatos. Vale lembrar que, em 20 de abril de 97, um indígena Pataxó foi queimado vivo por cinco filhinhos de papai em Brasília e que, em 2004, a justiça - ela de novo! -concedeu ao bando a tão requerida liberdade condicional.
Eles não são considerados, portanto, uma ameaça à sociedade! Espero que o mesmo não aconteça com os assassinos de Avelino.
Brasil, Brasil...
**
Save the planet!

Um comentário:

Lucy - rj - brasil disse...

cara, isso é muito TRISTE!!!!!!!!
por que tem tanta coisa errada no mundo, por que o mal parece imperar, por que tanta gente boa está sofrendo na mão de tantos algozes, por que o mundo está assim, por que por que por que????