21.11.05

saiu na mídia III


TV Globo/Fantástico - 20/11
"Exclusivo! Você vai ver agora as imagens da aproximação com um grupo de índios isolados".
Excelente! Equipe da Rede Globo, vocês estão de parabéns. Noticiam a descoberta de uma nova tribo na Amazônia, alardeiam isso como se isso fosse algo excelente do ponto de vista ambiental e social. Eu, sinceramente, preocupo-me imensamente quando vejo sensacionalismos da mídia em torno de tribos isoladas recém descobertas. Sabe por que? Porque depois da "descoberta" e da notícia veiculada daqui para o mundo inteiro, certamente a vida deste povo nunca mais será a mesma. Acredito ser fundamental a proteção destas pessoas. Mais humanidade é preciso. Nestas horas, mais vale a identidade e a proteção de um povo do que sua exposição até certo nível sensacionalista em troca de alguns pontos no ibope.

Folha de S. Paulo, 17/11
Ministra "falou besteira"

“O governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, disse ontem que a ministra Marina Silva (Meio Ambiente) visitou Campo Grande para "falar besteira" ao se manifestar contra a instalação de usinas de álcool no entorno do Pantanal”.
- O Zeca do PT: relaxa no Pantanal, querido. Desiste dessa idéia maluca. Quer ficar famoso, é isso?
- O mínimo que Marina Silva faz é se posicionar contra a instalação de usinas no Pantanal. A ministra também poderia ser mais enérgica para combater o desmatamento da Amazônia. Lembremos que os maiores índices de desmatamento da floresta acontecem no atual governo.


Folha de S. Paulo, 17/11
Aquecimento pode ser desastre para saúde

“Pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, e da OMS (Organização Mundial da Saúde), traçaram o primeiro esboço abrangente dos efeitos que o aquecimento global poderá ter sobre a saúde humana -e o quadro que emergiu não é nada bonito”

Estadão, 16/11
MG multa municípios por problemas no manejo do lixo

“Belo Horizonte - Pesquisa da Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) constatou que das 853 prefeituras de Minas Gerais 566 depositam o lixo urbano em terrenos a céu aberto, sem controle de acesso e compactação”

Estadão, 16/11
Peixe que produz caviar está ameaçado de extinção
“O caviar está entre os mais caros alimentos no mundo, mas o peixe que o produz está desaparecendo rapidamente. Cerca de 90% do caviar vem dos esturjões selvagens no Mar Cáspio, onde a pesca indiscriminada vem causando problemas”

Triste obviedade.

PNUD/ONU – 14/11
Castanha leva dinheiro e paz a indígenas

"No noroeste do Mato Grosso, quase na divisa com Rondônia, uma reserva indígena abriga os pouco mais de 400 remanescentes da tribo zoró. Em meio à Floresta Amazônica, a região sofreu no passado com a pressão por desmatamento. A presença dos madeireiros chegou a gerar conflitos internos armados entre os índios: alguns queriam a expulsão dos madeireiros, outros defendiam sua permanência, apesar de ilegal. A conciliação entre os zorós começou a surgir quando eles passaram a obter renda a partir de outro produto florestal, que não exige a derrubada da mata: a castanha"

Para terminar, uma notinha mais antiga, porém mais atual do que nunca:

Estadão – 4/08
Desmatamento é menor em terras indígenas

“Levantamento do Instituto Socioambiental mostra que, enquanto desmatamento da floresta amazônica é de 16,83%, dentro das terras indígenas o índice é de apenas 1,10%. Os números mostram que ao demarcar e homologar uma terra indígena, além de garantir um direito original desses povos, o governo está reconhecendo o serviço que eles prestam ao País.”
Essa é e não é uma notícia a comemorar. É porque essa constatação pode incentivar a criação de mais reservas. Não é porque o desmatamento em áreas indígenas continua acontecendo. Mesmo que os índios tenham direito à própria terra de acordo com a lei, perdem espaço nela. Pela história não é difícil concluir que, se continuar deste jeito, garimpeiros, grileiros, pecuaristas e madeireiros vão acabar de vez com a raça vermelha do nosso Brasil.

Save the planet!

2 comentários:

Carlos Gimenes disse...

Olá Karina
Recebi um e-mail hoje e repasso para você. Se for verdade, divulguemos. Se mentira, avisemos as pessoas que já assinaram.
Segue abaixo o texto da mensagem e aguardo sua resposta.
Beijos
Carlos
- - -
Esta mensagem certamente passará 10 metros por cima da cabeça de
alguns, mas se não tentarmos, não evitaremos um desastre, sobretudo
porque nós todos estamos envolvidos.

O congresso brasileiro vota agora um projeto que reduzirá a Floresta
Amazônica a 50% do seu tamanho.

Esta petição tomará 3 MINUTOS, mas, por favor, ponha seu nome embaixo
da lista e envie.

O setor que querem desmatar representa 4 vezes o tamanho de Portugal e
seria utilizado principalmente para a agricultura e pastagens para o
gado. Toda a madeira deve ser vendida nos mercados internacionais por
grandes sociedades multinacionais sob a forma de tábuas.

O fato é que o solo da floresta amazônica é inútil sem a floresta. Ele
é muito ácido e a região é sujeita a frequentes inundações. Atua
lmente,
mais de 160 000
km2, desmatados para esse mesmo fim estão
abandonados e
deram início a um processo de desertificação. O desmatamento e o
tratamento da madeira em tal escala liberam na atmosfera quantidades
enormes de carbono, acentuando assim o efeito estufa e as
mudanças climáticas.

Não podemos deixar passar.

POR FAVOR, copie o texto numa nova mensagem, ponha seu nome completo na
lista abaixo e envie a todas as pessoas de seu conhecimento.

Se você for a 1000ª pessoa a assinar, por favor envie uma copia para
afsaviolo@openlink.com.br

Lucas Avelar disse...

A empolgação com que falava o jornalista Sérgio C. do Globo Reporter era de engasgar qualquer consciência sã. Entraram em terreno duvidoso - até agora me pergunto se foi crime ou não, se as instituições que lutam pelos direitos dos índios venderam direitos territoriais à globo, sei lá, essa país já assumiu a corrupção em todos âmbitos - na amazônia e ficaram tirando fotos dos índios. isso é absurdo ou extrapola o próprio absurdo? Nem vi a reportagem, bastou a chamada nos comerciais pra que meu estômago revirasse e eu quisesse partir pra ignorância. A Globo coleta o mérito da estupidez jornalística quando faz isso, e cada vez mais prova que os brancos nada respeitam dos territórios estritamente indígenas. lei nesse país parece servir pra limpar a bunda, que me perdoem o vocabulário. Jornalistas de plantão: busquemos a paz, busquemos a informação, busquemos dar o alarme da vida de precipício que levamos todos, mas respeitem os seres humanos além de vocês e a mãe natureza, acima de tudo. Vocês gostariam que vários homens de vestuário estranho descessem de rapel no seu prédio e entrassem no seu apartamento jogando flashes nas suas caras e vocês se perguntando "meu deus, whatta hell?!"? hum... pergunta difícil, né?(...)