24.10.05

onu: avaliação ecossistêmica do milênio - I


Vou dividir esse assunto em duas partes, para fixar bem a informação. Portanto, atenção. Vamos lá. Em pleno século XXI não é mais segredo para ninguém a necessidade de cuidar do meio ambiente – e, mais do que nunca, o mundo começa a se preocupar com os efeitos de tantos maus tratos. Como está a saúde dos ecossistemas do planeta? De que forma podem influenciar a vida humana? O que vai acontecer se a degradação continuar nesse ritmo? Qual a melhor forma de preservar o meio ambiente em um mundo que se torna cada vez mais globalizado, industrial e capitalista?

Pensando nisso, Kofi Anam, Secretário Geral da ONU, encomendou a Avaliação Ecossistêmica do Milênio, um importante projeto que desvenda a saúde dos ecossistemas do planeta e sua relação com a manutenção da vida. O estudo foi feito de 2001 a 2005 por 1 350 cientistas de 95 países, incluindo o Brasil. Todos os tipos de ecossistemas foram estudados, desde florestas naturais até ambientes modificados pelo homem, como áreas urbanas e agrícolas.

Se cada população tratasse bem o ecossistema em que vive, procurando agir dentro dele de forma sustentável, de maneira que ele sofresse o mínimo de intervenções, então o ser humano provavelmente não sentiria tanto as conseqüências das mudanças provocadas nesse mesmo ecossistema. Quanto mais a população intervir no meio ambiente, mais colherá os frutos dessa intervenção. É um ciclo.

O resultado da Avaliação é preocupante, pois a vida do homem na Terra depende da saúde dos ecossistemas - e eles nunca foram tão agredidos e modificados como nos últimos 50 anos. O crescimento da população mundial aumentou a níveis exorbitantes o uso de água, a produção de alimentos, a extração de madeira, o uso de fibras e de combustível. 60% dos ecossistemas avaliados não são utilizados de forma sustentável. As alterações feitas aumentam as chances de mudanças radicais, prejudiciais, “abruptas e potencialmente irreversíveis”. Ora, a destruição de hoje já está gerando até surtos de epidemias.

O estudo da ONU afirma que dentro de pouco tempo a Terra não terá mais condições de fornecer bens naturais aos homens. Traduzindo, ela vai perder a capacidade de fornecer peixes e água doce, de reciclar nutrientes do solo e de controlar o clima, sem falar na dificuldade de recuperar áreas que sofrerem desastres naturais. Pensem nas tsunamis e nos furacões.

Estamos passando por esse processo. Essa avaliação é bem interessante porque fala justamente e claramente isso. Ela foi publicada no começo do ano e pouco se sabe sobre ela. Você sabia da existência desse estudo? Por que ele não foi divulgado com a devida importância?

O resultado da Avaliação Ecossistêmica do Milênio não é uma suposição, mas um fato estudado por feras no assunto. Está na hora do mundo começar a abrir os olhos. Na próxima postagem tem mais Avaliação. O que mais ela diz? O que fazer para melhorar a situação atual? Continuem comigo. E...
Save the planet!

3 comentários:

Garrido disse...

Oi Karina!
Sou estudante da PUC.
Você falou que tem mailing?
Pode me adicionar?
linagarrido@uol.com.br
BEijos!

Fátima Avelar disse...

Oi Ká,
Beijão procê e parabéns pelo belo trabalho que vc vem desenvolvendo no seu blog.
Fátima

luizalbertomachado disse...

Minha solidariedade e de mãos dadas vamos juntos.
Parabens pela iniciativa.
Beijabrações