18.7.09

últimas notícias

Olá, caros amig@s!
O desaparecimento dos posts se deve a uma razão: o artigo de Miriam Leitão é tão absolutamente real e importante que achei melhor deixá-lo em destaque por mais tempo.
A seguir, notícias recentes:

FSP, 17/7
Minc diz que desmatamento em 2009 será o menor em 20 anos Ao falar na biodiversidade Amazônia em sua conferência na SBPC, Minc estava empolgado. "Os próximos dados de desmatamento da Amazônia [que devem sair em mais alguns meses apenas] vão mostrar a menor taxa dos últimos 20 anos", afirmou. Sobre o impasse ao acesso à diversidade biológica, que há anos atrapalha as pesquisas científicas, Minc disse que o novo projeto de lei -hoje o assunto é tratado em Medida Provisória- deve ser encaminhado ao Congresso em regime de urgência em dois meses. "A obtenção de licenças será um processo de dupla entrada. O CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) vai trabalhar em conjunto com o sistema Sisbio, hoje monitorado pelo Instituto Chico Mendes, do MMA. Tudo será feito para que ocorram mais pesquisas e de forma mais rápida. Passou o tempo de que os ambientalistas viam todos os cientistas como biopiratas."
*
Pelo menos 18 milhões de cabeças do rebanho bovino de Mato Grosso, que soma 26 milhões, estão no bioma amazônico. São 71 mil propriedades e 29 indústrias frigoríficas na área, com capacidade de abate diário de 23,6 mil cabeças, segundo o Imea (Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária). Um boicote à carne da região traria perdas para toda a cadeia e para o Estado, diz a Acrimat.

*
Os produtores de Mato Grosso querem discutir a expressão Amazônia Legal e regras claras para as ações desenvolvidas naquela área. Do contrário, corre-se o risco de serem tomadas ações sem nenhuma consistência científica no Estado, segundo Vicente Falcão, da Acrimat (Associação dos Criadores de Mato Grosso).

Amazônia.org.br:

Frigoríficos ficarão livres da cobrança de PIS e Cofins
Acordo firmado pelo MPF com frigoríficos é explicado a pecuaristas
Florestas são estratégia mais viável para sequestro de carbono, diz pesquisador

Envolverde:
BR-319 só sai com cumprimento integral das condições ambientais, diz Carlos Minc
Fundo Amazônia aprova primeiros R$ 45 milhões

OESP, 17/7
Obra da Usina de Jirau é retomada A manifestação dos moradores da reserva Floresta Nacional de Bom Futuro (RO), que bloqueava a estrada que dá acesso às obras da Usina de Jirau, do Rio Madeira, foi encerrada na quarta-feira. Segundo a Política Militar de Rondônia, cerca de 900 pessoas deixaram o local após o governo e a superintendência do Ibama no Estado anunciarem um acordo sobre a pauta de reivindicação dos manifestantes.

O Globo, 17/7
Grandes empresas têm um ano para deixar de oferecer sacolas plásticas Grandes empresas do Rio de Janeiro terão, até 15 de agosto de 2010, de parar de usar sacolas plásticas que não sejam biodegradáveis. Foi sancionada ontem pelo governador em exercício, Luiz Fernando Pezão, a lei estadual que regula a utilização do produto. Empresas de médio porte terão prazo de dois anos para deixar de oferecer as sacolas plásticas e as micro e pequenas empresas, três anos. Quem descumprir a legislação terá que dar desconto para os clientes ou aceitar trocar as sacolas, mesmo as não produzidas pela loja, por alimentos. Os estabelecimentos também terão que colocar avisos informando que o material plástico leva mais de cem anos para se decompor. As multas por descumprimento da nova lei podem chegar a 10 mil Ufirs. No país são produzidos por ano 12 bilhões de sacolas plásticas, segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras).

O Globo, 12/7
O Ministério Público Federal (MPF) está investigando o comércio ilegal de madeira no Pará. A operação é liderada pelo procurador Bruno Soares Valente, que já listou 113 empresas fantasmas no estado. Estão na mira da Justiça um total de três mil empresas, entre pequenas, médias e grandes do setor madeireiro. Subtraída de terras indígenas ou unidades de conservação federais, a madeira passa por um processo de "esquentamento", que dá ao produto uma aparência 100% legal. Depois de "esquentada", ela entra na cadeia produtiva e vai parar no estoque de gigantes do setor moveleiro e de construção civil de Estados Unidos, Europa e Ásia, além do que fica no mercado interno. O Pará é hoje o maior exportador de madeira tropical do país. No próximo mês, a Procuradoria vai apresentar a denúncia.

*
Chegou a 21 mil metros cúbicos o volume de madeira ilegal apreendida no primeiro semestre pelo Ibama, apenas no Pará. A madeira apreendida na Operação Caça-fantasma é suficiente para encher a carroceria de 525 caminhões. Caso esses veículos fossem enfileirados, daria para ocupar toda a extensão da ponte Rio-Niterói, que tem 13 quilômetros de comprimento. Em 2008, as multas aplicadas pelo Ibama atingiram R$ 400 milhões. Este ano, até junho, já chegam a R$ 560 milhões. Nem o Ministério Público Federal (MPF) nem o Ibama arriscam calcular o volume de negócios gerado pelo comércio ilegal de madeira no Pará. Caso essa madeira ilegal não fosse interceptada, acabaria entrando na cadeia produtiva e sendo exportada pelo Porto de Belém.

OESP, 11/7
O Ministério da Agricultura vai investir R$ 1 milhão na implantação de um sistema de geomonitoramento por satélite para a fiscalizar o desmatamento de áreas preservadas e fazer o rastreamento de gado no Pará. O sistema será implantado até o final do ano, inicialmente, no Sul e Leste do Estado, área na qual o desmatamento é considerado mais crítico, informou o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. O custo anual de manutenção do sistema de R$ 2,5 milhões será bancado inicialmente pelo Ministério, mas nos anos seguintes deverá ser dividido com produtores, frigoríficos, e o BNDES, que também participa do projeto. Um ano depois da primeira fase de implantação do projeto, a expectativa é a de que todo o Pará já tenha a cobertura do sistema, elaborado pela Embrapa.


O Globo, 11/7
O projeto de asfaltamento da BR-319, que atravessa a Amazônia ligando Porto Velho a Manaus, provocou mais uma briga entre ministérios do governo Lula. O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, determinou sexta-feira que o Dnit recorra à Justiça contra a decisão do Ibama de não conceder licença ambiental para a pavimentação da BR. Em São Paulo, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, disse que está preparado para enfrentar as pressões do Ministério dos Transportes e de outros setores do governo pela autorização para uma obra prevista no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC). A equipe de Alfredo Nascimento considera que o Ibama exagerou nas críticas ao estudo de impacto ambiental da rodovia, encomendado pelo Dnit. Técnicos do Dnit estão fazendo uma análise do relatório do Ibama para preparar a contestação.

FSP, 12/7
As línguas indígenas em risco de extinção são o tema de um
site produzido pela Editoria de Treinamento da Folha. Um mapa interativo mostra a distribuição de 190 línguas indígenas do Brasil -algumas delas extintas. O mapa é complementado por textos, fotos e vídeos. Há também conteúdo multimídia sobre os Akuntsu, Kanoê e Ka'apor, que praticam a única língua de sinais indígena catalogada no Brasil. No site, há depoimentos dos últimos falantes do Poyanawa e um vídeo sobre a escola de sua aldeia. Também há um documentário sobre os poliglotas de São Gabriel da Cachoeira (AM), a Babel brasileira. Podem-se ainda ouvir palavras em Xipaya.
Save the planet!

2 comentários:

Gammelo disse...

Oi Reporte Eco]
olha eu vou te dar uma dica ok, procura o livro Educação Ambiental, o sobrenome do autor é Dias, ele tem um capitulo unico osbre desenvolvimento sustentável, numa visão mais biológica do que politica e social, vai te ajudar a esclarecer alguns pontos.
Sobre a carne, vale lembrar que alem da produção de gado tem as grandes plantações de soja que destroem enormes biomas brasileiros e forma ate mais impactante que o gado, e infelizmnete o maior mercado de soja é para estranhgeiros, principalmente para produtos derivados.
Vale lembrar que a economia entraria em colapso com um boicote, o que deve ser feito é uma conscientização da população para melhor uso do recurso.
Enfim, falta educação para o povo e humildade para os latifundiários hihi
abraço

Diêgo Lôbo disse...

Gostaria de informar que indiquei vocês ao Prêmio Comprometidos 2009, que premia os blogs que têm comprometimento com a democracia e direitos sociais, no nosso caso, ambientais.
Passe em http://essetalmeioambiente.wordpress.com/2009/07/29/e-esse-tal-meio-ambiente-e-agraciado-com-premio-internacional-comprometidos-2009/ e veja como proceder.

Parabéns, abraços!